Aceita o medo – Osho

Sempre que alguém tem medo, cria um grande ego para rodear o medo e vai inchando esse ego, até que é muito grande. Adolf Hitler, Idi Amin de Uganda… esse tipo de pessoas estão muito inchadas. Então começam a assustar a outros.

Devem saber que qualquer pessoa que tente assustar a outros, no fundo tem medo, se não, por que o faz? Que sentido tem? Quem vai se incomodar em te assustar se ele mesmo não tiver medo?

A gente que está cheia de medo assusta a outros para poder descansar tranquila. Sabem perfeitamente que não lhes tocarão, que não vão ultrapassar seus limites. Veja bem, é exatamente o caso de que estou falando. Não lute com o ego. Mas observa-o e tenta aceitá-lo. É natural… faz parte da vida. Não é necessário escondê-lo; não é necessário dissimular. Está aí, todos os seres humanos estão cheios de medo. Forma parte da humanidade. Aceita-o, o ego desaparece assim que o aceita, porque então já não tem sentido que o ego siga existindo. Lutar com o ego não servirá de nada; Aceitar o ego te ajudará automaticamente.

Então sabe que sim, somos muito pequenos dentro deste vasto universo, como é possível não ter medo? A vida está rodeada de morte, como é possível não ter medo? Podemos desaparecer em qualquer momento… uma tolice vai mau e desaparecemos, como é possível não ter medo? Se o aceitar, o medo desaparecerá pouco a pouco porque já não tem razão de ser. Aceita-o, dá por feito que existe, é assim!

Não invente nada para escondê-lo. Se não inventar nada contra o medo, este desaparece. Não estou dizendo que não tenha temores, estou dizendo que não te assuste. O medo seguirá existindo, mas não te assustará. Entende? Estar assustado significa estar contra o medo, não quer que exista, mas existe. Quando o aceita… Igual a todas as árvores são verdes, a humanidade está cheia de medo. O que se pode fazer? As árvores não estão escondendo-se. Todo mundo está destinado a morrer. O medo é a sombra da morte. Aceita-o!

…….

A meditação deveria ser um refúgio interno, um altar interno. Sempre que sentir que o mundo é muito para ti, pode ir a seu altar interno. Pode te dar um banho em seu ser interno. Pode rejuvenescer. Pode sair ressuscitado: de novo vivo, jovem, renovado… para viver, para ser. Mas também deveria ser capaz de amar às pessoas e fazer frente aos problemas, porque um silêncio impotente que não pode fazer frente aos problemas não é um grande silêncio, não vale muito. Só deve desejar e desejar um silêncio que possa fazer frente aos problemas mas seguindo em silêncio.

Eu gostaria de te dizer estas duas coisas: primeiro começa a meditar… porque sempre é bom começar do centro mais próximo de seu ser, e é a meditação. Mas não fique parado aí. A meditação deveria transformar-se, florescer, abrir-se e converter-se em amor. Não se preocupe, não o converta em um problema, não o é. Simplesmente é humano, é natural. Todo mundo tem medo, tem que ser assim. Mas a vida funciona de maneira que tem que ter medo. As pessoas que perdem o medo, não o perdem porque se voltem corajosos, já que uma pessoa corajosa só está reprimindo seu medo; em realidade, não é que não tenha medo. Uma pessoa perde o medo quando aceita seus medos. Não é uma questão de coragem. Simplesmente é analisar os fatos da vida e dar-se conta de que é natural ter medo. A gente aceita os medos!

O problema surge quando quer rechaçá-los. Ensinaram-lhe uns ideais ególatras: «Sei corajoso. » Que tolice! Bobagens! Como pode um homem inteligente evitar ter medo? Se for estúpido não terá medo. O condutor do ônibus toca a buzina enquanto você está em meio da rua, sem sentir medo. Ou te vai investir um touro e você está aí de pé, sem sentir medo. Mas é estúpido! Um homem inteligente tem que sair do caminho. Se te converter em um viciado e começa a procurar serpentes em um matagal, então tem um problema. Se não haver ninguém na estrada mas tem medo e sai correndo, então tem um problema; se não, o medo é algo natural.

Quando digo que perca o medo, não me refiro a que não haverá temores na vida. Chegará a te dar conta de que noventa por cento dos medos são pura imaginação. Dez por cento são reais, e tem que aceitá-los. Não converto às pessoas em corajosos. Devolvo a eles para ser mais receptivos, sensíveis, atentos, e sua atenção é suficiente. Dão-se conta de que seus medos também podem servir de degraus. Não lhes preocupem, de acordo?

Trecho dos livro Coragem de Osho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s