Meditação Vipassana no entendimento de Osho

Vipassana

O sistema de Buda era o vipassana. Vipassana significa ser testemunha e ele descobriu um dos melhores métodos, o método de observar sua respiração… simplesmente, observar sua respiração.

Respirar é um fenômeno tão simples e natural, e se realiza vinte e quatro horas ao dia. Não tem que fazer nenhum esforço. Se repetir um mantra, terá que fazer algum esforço, terá que te forçar. Se disser: «Ramo, Ramo, Ramo», terá que te esforçar continuamente. E muitas vezes se esquecerá. Além disso, a palavra «Ramo» também pertence à mente, e nada que seja da mente pode te levar além da mente.

Buda descobriu um método completamente diferente. Basta ficar observando sua respiração… o fôlego que entra, o fôlego que sai.

Há quatro coisas que se devem observar. Sente-se em silêncio e começa por ver a respiração, por sentir a respiração. A primeira coisa é o fôlego que entra. Depois, quando o fôlego entrou, detém-se um momento… é um momento muito breve, mas se detém uma fração de segundo; essa é a segunda coisa que terá que observar. Depois, o fôlego dá a volta e sai; essa é a terceira coisa que terá que observar. E uma vez mais, quando o fôlego saiu de tudo, detém-se durante uma fração de segundo; essa é a quarta coisa que terá que observar. Então, o fôlego começa a entrar de novo… esse é o círculo da respiração. Se pode observar estes quatro aspectos, ficará surpreso, assombrado do milagre de um processo tão simples… porque a mente não intervém.

Observar não é uma qualidade da mente. Observar é a qualidade da alma, da consciência. Observar não é um processo mental absolutamente. Quando observa, a mente se detém, deixa de existir. Sim ao princípio te distrairá muitas vezes e a mente entrará e começará a jogar a seus jogos de sempre. Mas quando recordar que te distraíste, não há necessidade de sentir-se culpado ou arrependido… simplesmente, retorna a observação, volta a observar uma e outra vez sua respiração. Pouco a pouco, pouco a pouco, a mente interferirá cada vez menos. E quando for capaz de observar sua respiração durante quarenta e oito minutos seguidos, ficará iluminado. Isto te vai surpreender. Só quarenta e oito minutos? Porque te parece que não é muito difícil… só quarenta e oito minutos! Pois é muito difícil.

Em só quarenta e oito segundos, cairá muitas vezes vítima da mente. Tenta-o com um relógio diante; ao princípio não poderá te manter vigilante nem sessenta segundos. Em só sessenta segundos, em um minuto, cairá dormido muitas vezes. Se esquecerá de observar… a observação e a vigilância ficarão esquecidas.

Alguma ideia te levará longe, muito longe. E de repente te dará conta… olhará o relógio e verá que aconteceram dez segundos. Durante dez segundos não esteve vigiando.

Mas pouco a pouco, pouco a pouco… é questão de intuição; não é questão de prática, mas sim de intuição… pouco a pouco irá absorvendo. Porque esses poucos momentos nos que está vigilante são de uma beleza tão deliciosa, de uma alegria tão tremenda, que uma vez que tenha saboreado esses poucos momentos quererá voltar uma e outra vez… sem mais motivo que pelo gozo de estar aí, presente ante a respiração.

Recorda, não é o mesmo processo que se faz no ioga. No ioga, o processo se chama pranayam; é um processo completamente diferente, de fato é o contrário do que Buda chama vipassana. No pranayam faz aspirações profundas, você enche o peito com todo o ar possível, absorvendo cada vez mais oxigênio; depois esvazia os pulmões todo o possível, expulsando todo o dióxido de carbono. É um exercício físico… é bom para o corpo, Mas não tem nada que ver com o vipassana.

No vipassana não tem que trocar o ritmo de sua respiração natural. Não tem que fazer. inalações largas e profundas; não tem que exalar de maneira diferente da normal. Deixa que seja absolutamente normal e natural. Toda sua consciência tem que estar em um ponto, observando.

E se pode observar sua respiração, também pode começar a observar outras coisas. Ao andar pode observar que está andando, ao comer pode observar que está comendo. E por fim chega um momento no que pode observar que está dormido. O dia em que possa observar que está dormido te verá transportado a outro mundo. O corpo segue dormindo, e dentro segue ardendo uma luz brilhante. Sua vigilância se mantém sem perturbações. Durante as vinte e quatro horas do dia haverá uma corrente subterrânea de vigilância. Você segue fazendo coisas… para o mundo exterior, nada trocou, mas para ti trocou tudo.

Um professor Zen estava tirando água do poço, e um devoto que. tinha ouvido falar dele e vinha desde muito longe para lhe vê-lo perguntou:

-Onde posso encontrar a Fulano, o professor deste monastério?
Pensava que aquele homem tinha que ser um servente, que tirava água do poço.
Como vai Buda a trazer água do poço? Como vai Buda a limpar o chão?

– O professor pôs-se a rir e disse:

-Eu sou a pessoa que anda procurando.

O devoto não podia acreditar, e disse:

-Ouvi falar muito de ti, mas jamais imaginei tirando água do poço.

-Pois isso era o que fazia antes de me iluminar -disse o professor-. Tirar água do poço, cortar lenha… Isso é o que fazia antes é o que sigo fazendo. Sou muito eficiente nessas duas coisas: tirar água do poço e cortar lenha. Vem comigo. Quão seguinte vou fazer é cortar lenha. me observe.

-Mas então, que diferença há? – perguntou o homem –  antes de te iluminar fazia essas duas coisas, depois da iluminação segue fazendo as mesmas duas coisas. Que diferença há? O professor pôs-se a rir.

-A diferença é interior. Antes o fazia tudo dormido; agora faço-o tudo conscientemente, essa é a diferença. As atividades são as mesmas, mas eu já não sou mesmo. O mundo é o mesmo, mas eu não sou o mesmo. E como já não sou o mesmo, o mundo tampouco é o mesmo para mim.

A transformação tem que ser interior: Essa é a autêntica renúncia: o mundo de antes desaparece porque o ser de antes desapareceu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s