A Divina Mãe – Swami Vivekananda

(A Divina Mãe)

Os saktas adoram a Energia Universal como Mãe, o nome mais doce que conhecem; porque a Mãe é o ideal mais elevado de feminilidade, na Índia. Quando Deus é adorado como Mãe, como Amor, os hindus o chamam o caminho da direita, que conduz à espiritualidade, mas nunca à prosperidade material.

Quando Deus é adorado em seu aspecto terrível, isto é, no caminho da esquerda,leva, geralmente a grande prosperidade material, porém, raramente à espiritualidade e, eventualmente conduz à degeneração e a extinção da raça que o pratica.

A mãe é a primeira manifestação de poder e é considerada como uma ideia mais elevada do que a de a ideia de pai. Com o nome de mãe, vem a ideia de sakti, a Energia Divina e Onipotente.

Aqui, nos vemos como uma criança, que acredita que sua a mãe é toda poderosa, capaz de fazer qualquer coisa.

A Divina Mãe é a Kundalini, que dorme em nós. Sem adorá-la, nunca poderemos conhecer a nós mesmos. Toda misericordiosa, toda poderosa, onipresente, são os atributos da Divina Mãe.

Ela é a soma total da energia no universo.

Cada manifestação de poder, no universo, é obra da Mãe.

Ela é a Vida, é a Inteligência, é o Amor.

Está no universo e ao mesmo tempo está separada dele.

É uma pessoa e pode ser vista e conhecida (como Sri Ramakrishna a viu e conheceu.

Apoiados na idéia da Mãe, nós podemos fazer qualquer coisa. Ela responde rapidamente às nossas orações.

Pode mostrar-se a nós, sob qualquer forma e a qualquer momento. A Divina Mãe pode ter forma, (rupa) e nome (nama) ou não ter nome nem forma, e ao adorá-la nestes diferentes aspectos, podemos elevar-nos à Existência Pura, que não tem forma nem nome.

A soma total de todas as células de um organismo, constitui uma pessoa; assim, cada alma é como uma célula, e a soma delas é Deus, e além disto, está o Absoluto.

O Absoluto é um mar em calma; o mesmo mar com ondas, é a Divina Mãe. Ela é tempo, espaço e causa-ação.

Deus é Mãe e tem duas naturezas, uma condicionada e outra incondicionada.
Como condicionada é Deus, natureza e alma (homem). Como incondicionada é desconhecida e incognoscível.

Do incondicionado procede a trindade: Deus, Natureza e Alma, que é o triângulo da existência.

Esta é a idéia *visishtad-vaitista*, que vem a ser o monismo qualificado. Um fragmento da Mãe, uma gota, era Krishna, outra foi Buddha e outra foi Cristo. A adoração, ainda que seja feita a uma chispa da Mãe, em nossa mãe terrena, conduz à grandeza. Adorem a Ela, se querem amor e sabedoria.