O que a meditação é e o que ela não é.

Existem muitas idéias, que são até mesmo contraditórias, sobre o que a meditação é. O principal na abordagem de Osho é a necessidade de o meditador entender a natureza da mente, ao invés de lutar com ela.

Nós quase sempre somos guiados, dominados por nossos pensamentos ou sentimentos. Segue- se que tendemos a pensar que somos esses pensamentos e sentimentos. Meditação é um estado de simplesmente ser, apenas pura experiência, sem nenhuma interferência do corpo ou da mente. É um estado natural, mas que esquecemos como acessá-lo.

A palavra meditação é também usada para o que é, mais precisamente, um método de meditação. Métodos meditativos, técnicas ou expedientes são meios para criar um ambiente interior que facilita desconectar do corpo-mente para assim podermos simplesmente ser. Enquanto inicialmente isso ajuda a pôr o tempo de lado para praticar um método de meditação estruturado, há muitas técnicas que são praticadas dentro do contexto de nossa vida diária; no trabalho, no lazer, sozinho e com outros.

Métodos são necessários somente até o estado de meditação; de consciência relaxada, de conscientização e centramento; tornou-se não somente uma experiência passada, mas tão intrínseco para nós como a respiração.

Alguns Equívocos Comuns
Meditação é:

1) Somente para pessoas que estão em busca espiritual.
Os benefícios da meditação são múltiplos. O principal deles é a habilidade de relaxar e de ficar atento sem esforço. Ferramentas úteis para todos!

2) Uma prática para ganhar paz mental.
Paz mental é um termo contraditório. Pela sua própria natureza a mente é uma comentarista crônica. O que você pode descobrir através da meditação é o jeito de descobrir a distância entre você mesmo e o comentário, para que a mente, com seu constante circo de pensamentos e emoções, não mais se intrometa no seu inerente estado de silêncio.

3) Uma disciplina mental ou esforço para controlar ou domar a mente, para tornar-se mais mental.
Meditação não é nem um esforço mental nem uma tentativa de controlar a mente. Esforço e controle envolvem tensão e a tensão é contrária ao estado de meditação. Além disso, não há necessidade de controlar a mente, apenas de entender como ela funciona. O meditador não precisa domar sua mente, para se tornar mais mental, mas crescer mais em consciência.

4) Focalizar, concentrar ou contemplar.
Focalizar, como concentrar é um estreitamento da consciência. Você se concentra em um objeto e tudo mais é excluído. Por contraste, a meditação é tudo-incluído, sua consciência é expandida. O contemplador está focalizado em um objeto; talvez um objeto religioso, uma fotografia ou uma máxima inspirada. O meditador está simplesmente cônscio, mas não de algo em particular.

5) Uma nova experiência.
Não necessariamente; os atletas conhecem esse espaço, ao qual eles se referem como; a zona. Os artistas o conhecem através do canto, da pintura, tocar música. Podemos conhecê-lo através da jardinagem, brincando com as crianças, caminhando pela praia ou fazendo amor. Mesmo quando criança, tivemos experiências disso. A meditação é um estado natural e algo que você quase certamente provou, embora talvez sem saber o nome do sabor.

COMEÇANDO
Existe uma hora e lugar certo para meditar? Algum pré-requisito? Como escolher o método correto? Aqui estão algumas dicas que podem ajudar.

Qual a melhor hora para meditar?
É importante entender que “meditação” é simplesmente estar cônscio do que está acontecendo tanto dentro quanto ao nosso redor. Finalmente, essa é apenas uma parte natural de tudo que fazemos, vinte e quatro horas por dia. Aprender o “jeito” ou “observar” o que está acontecendo ao invés de ficar imerso nisso, pode levar algum tempo. E os métodos de meditação foram projetados para ajudá-lo a primeiro pegar esse jeito, e então permitir o observador ficar mais forte o suficiente para se tornar parte de sua vida diária. Assim, os comentários
abaixo se referem aos métodos que podem ajudá-lo nesse processo.

Alguns métodos são projetados para ser mais eficazes quando feitos em uma certa parte do dia. Por exemplo, a Meditação de ativação de energia, melhor se for a primeira coisa feita na manhã. Similarmente, uma Meditação projetada para o fim do dia, para sacudir fora as tensões acumuladas. Há meditações que podem ser feitas a qualquer hora.

O importante é que você encontre qual método funciona melhor para você, que se adapte ao seu estilo de vida particular. Se você está usando um método que requer que você reserve uma certa hora de seu dia, tente manter essa hora somente para sua meditação. Assim isso se torna uma parte de seu ritmo natural tanto quanto escovar seus dentes ou tomar seu café da manhã.
Onde…

Você pode trazer a meditação para a sua vida diária em qualquer lugar, a qualquer hora.

Sua própria casa pode ser o melhor lugar para praticar técnicas especificas. A visita a um Centro de Meditação é também uma boa opção que pode fornecer uma experiência inestimável e profunda.
Muitas técnicas de meditação, tal como observar a respiração, pode ser praticado em qualquer lugar, a qualquer hora. Para os métodos ativos você precisa de um quarto onde não possa ser perturbado e onde possa movimentar-se livremente.

O Que Usar

Você se sentirá mais confortável com roupas folgadas que não limita o fluxo da energia de nenhuma maneira.

Minimizando as Perturbações

Certifique-se de que você não será perturbado. Vale a pena distinguir entre o barulho do lado de fora, que é somente para ser percebido e não deve ser uma perturbação, e o telefone que toca ou alguém que entre no quarto, isso é diferente. Há um pensamento formado de que a meditação tem que acontecer em um “lugar quieto”, mas procure observar tudo, dentro e fora.

Postura

Você pode escolher algumas posturas especificas necessárias para uma meditação em particular.

Quando sentado, você achará mais fácil estar alerta e cônscio se a sua espinha estiver ereta, porque então você é ajudado pela gravidade. Você pode se sentar numa cadeira, se isso for melhor para você do que sentar no chão. Quando deitado, se você deita de costas ao invés de ficar de lado, a chance de adormecer é menor! Acima de tudo, o que é importante em qualquer posição é que você esteja confortável, para que o corpo fique relaxado.

Preparação Psicológica

É importante que você não medite com alguma meta, desejo ou qualquer expectativa. Todo o segredo é permitir o processo se desdobrar. Querer que algo aconteça é a maneira mais certa de impedir que isso aconteça. Apenas fique contente em desfrutar da meditação em si mesma, por ela mesma. Os resultados virão, mas só se você não estiver solicitando que eles venham. Crie um clima de receptividade, abertura e relaxamento.

Como Escolher um Método?

Experimente toda técnica que lhe agradar. E lembre-se, nem todas as técnicas são adequadas para todos; o que se ajusta a você pode não se ajustar a seu amigo. E tendo praticado um método por alguns meses, você pode achar que já o superou. Não há nada sacrossanto sobre métodos meditativos: eles são meios práticos de ter acesso a uma qualidade natural, inerente. Sinta-se livre para experimentá-los de um modo divertido.

Tendo selecionado o método, pratique-o por pelo menos sete dias consecutivos. E quando você estiver praticando, dê tudo que você puder. Assim a atração inicial pode ser confirmada ou não. Se você sentir que esse é seu método, comprometa-se em continuá-lo por pelo menos três meses. Após três meses você pode continuar com o mesmo método ou escolher um outro.

É sugerido que você comece tentando uma ou mais meditação ativa. Então as pratique regularmente por enquanto. E quando for possível use a abordagem da Arte de Escutar. Em adição, encontre alguma pequena técnica que você possa acrescentar à sua vida diária para ajudá-lo a lembrar de ficar atento tanto quanto possível no seu dia.

A continuidade é importante. É como esquentar água: até noventa e nove graus ainda é água e se você parar aí ela irá esfriar e você terá que re-aquecer. Mas se você perseverar até cem graus, então a água dá um salto quântico e é transformada em vapor.

Osho no livro O Tarô Zen de Osho