Pensamentos violentos e paz mental

Um grande obstáculo a paz mental são os pensamentos violentos. Pensamentos violentos são aqueles que prejudicam você e os outros. Você pode ser a pessoa mais amorosa, uma pessoa que abraça árvores e ainda assim ficará aborrecido na sua busca por paz por se distrair com todos os tipos de pensamentos violentos.

Os pensamentos violentos que temos sobre outras pessoas podem ser menos prejudiciais do que os pensamentos violentos que pensamos sobre nós. Pensamentos violentos sobre os outros geralmente são sintomas do nosso sofrimento. Pensamentos violentos sobre os outros não costumam ser algo como “Eu vou arrancar seus braços fora”. Eles são mais como, “seu estúpido idiota”, “não seja um imbecil tão grande”. Nós podemos pensar essas coisas sobre pessoas que passam na nossa vida por breves momentos e que nunca mais veremos. Mesmo assim os pensamentos que temos sobre eles nos tira a paz. Os pensamentos violentos que temos sobre os outros e que machucam são aqueles que abrimos nossa boca, afiamos nossas armas, ou de alguma forma convertemos esses pensamentos em ação. O pensamento que não é convertido, mesmo assim nos machuca.

Se não estamos propensos a desencadear ações vindas dos nossos pensamentos sobre os outros, então os pensamentos violentos que pensamos sobre nós são mais prejudiciais e que causam mais danos. Eles são perigosos porque não vemos eles como violentos, só pensamos neles como sendo a verdade. Esses pensamentos são coisas como: “como puder ser tão idiota”, Eu gostaria de ter melhor aparência”, “Sou odioso”, Sou estúpido”, “não consigo suportar isso”, “Não sou bom o bastante”, “Ninguém me ama”, “Gostaria de estar morto”, “Isso é um saco”. Quando esses pensamentos encontrar seu caminho para dentro de nossa atenção, é importante reconhecê-los como pensamentos violentos. Você está se derrubando com eles. Ter esses pensamentos não é o problema. Quando você não os reconhece como violentos e passivamente acredita neles, isso sim torna-se um problema.

Pensamentos violentos surgem do sofrimento. Conforme praticar reconhecer que está sofrendo, você verá que o sofrimento faz surgir pensamentos assim. Se você praticar reconhecer pensamentos violentos, verá que eles surgem quando está sofrendo. Sempre que reconhecer o sofrimento em si mesmo e nos outros, o desejo que o sofrimento diminua que vem desse reconhecimento é chamado de compaixão. Se você notar o sofrimento em primeiro lugar então terá pensamentos compassivos antes dos pensamentos violentos. Se você nota um pensamentos violento, pode assumir que existe sofrimento e desfazer qualquer dano em potencial com um pensamento compassivo como: “Eu estou triste”, “Estou assustado”, “estou entediado”, “Eu cometi um erro”, “Estou estressado”, “Eu mereço sentir paz”, “Eu preciso de um abraço”. Pensamentos compassivos ajudam.

Ao praticar observar seus pensamentos você ficará cada vez melhor em notar quando está pensando de forma violenta. Ao reconhecer o pensamento e sentir compaixão, encontrará mais paz. Ao encontrar mais paz você sofrerá menos e terá cada vez menos pensamentos violentos para perceber. Já os pensamentos compassivos sempre surgirão.

Traduzido de Zen Mister com autorização do autor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s