Caminhada Meditativa – Thich Nhat Hanh

A mente pode ir em mil direções. Mas neste caminho bonito, eu entro em paz. Com cada passo, um vento gentil sopra. Com cada passo, flores se abrem.

A caminhada meditativa é meditação enquanto caminhamos. Nós caminhamos lentamente, de um modo relaxado, mantendo um sorriso claro em nossos lábios. Quando praticamos deste modo, nos sentimos profundamente à vontade, e nossos passos são os da pessoa mais segura sobre a Terra. Meditação caminhando realmente é desfrutar o andar – andar não para chegar, apenas por caminhar, estar no momento presente, e desfrutar cada passo. Você tem que jogar fora todas as preocupações e ansiedades, sem pensar no futuro, sem pensar no passado, apenas desfrutando o momento presente. Qualquer um pode fazer isto. Leva pouco tempo, alguma plena atenção, e o desejo de estar contente.

Nós caminhamos todo o tempo, mas normalmente é como corrida. Nossos passos apressados imprimem ansiedade e entristecem a Terra. Se nós pudermos dar um passo em paz, poderemos dar dois, três, quatro, e então cinco passos para a paz e felicidade da espécie humana.

Nossa mente é arremessada de uma coisa a outra, como um macaco que balança de galho em galho sem parar para descansar. Pensamentos têm milhões de caminhos, e nós sempre somos puxados por eles para o mundo do esquecimento. Se nós pudermos transformar nossa caminhada meditativa em um campo para meditação, nossos pés darão cada passo em plena consciência, nossa respiração estará em harmonia com nossos passos, e nossa mente estará naturalmente à vontade. Todo passo que nós dermos reforçará nossa paz e alegria e fará um fluxo de energia calma fluir por nós. Então nós poderemos dizer, “Com cada passo, um vento gentil sopra.”

Enquanto caminhar, pratique a respiração consciente contando passos. Note cada respiração e o número de passos que você dá enquanto inspira e enquanto expira. Se você dá três passos durante uma inspiração, diga, silenciosamente, “Um, dois, três”, ou “Inspirando, inspirando, inspirando”, uma palavra com cada passo. Enquanto expira, se der três passos, diga, “Expirando, expirando, expirando”, com cada passo. Se você dá três passos enquanto inspira e quatro passos enquanto expira, você diz, “Inspirando, inspirando, inspirando. Expirando, expirando, expirando, expirando”, ou “Um, dois, três. Um, dois, três, quatro”.

Não tente controlar sua respiração. Dê aos seus pulmões todo tempo que precisam e simplesmente note quantos passos você dá enquanto seus pulmões se enchem e quantos passos você leva para esvaziá-los, atento a sua respiração e a seus passos. A chave é a plena consciência.

Quando você caminhar subindo ou descendo, o número de passos por respiração mudará. Sempre siga as necessidades de seus pulmões. Não tente controlar sua respiração ou seu andar. Apenas os observe profundamente.

Quando você começar a praticar, sua expiração pode ser mais longa que sua inspiração. Você pode dar três passos durante sua inspiração e quatro passos em sua expiração (3-4), ou dois passos / três passos (2-3). Se isto estiver confortável para você, por favor, pratique deste modo. Depois que você tiver feito meditação andando durante algum tempo, sua inspiração e expiração ficarão iguais provavelmente: 3-3, ou 2-2, ou 4-4.

Se você vir algo no caminho que queira tocar com sua plena consciência – o céu azul, as colinas, uma árvore, ou um pássaro – apenas pare, mas enquanto isso continue respirando em plena consciência. Você pode manter o objeto de sua contemplação vivo por meio da respiração atenta. Se você não respirar conscientemente, cedo ou tarde seu pensamento se dispersará, e o pássaro ou a árvore desaparecerão. Sempre fique com sua respiração.

Enquanto caminhar, você pode querer segurar a mão de uma criança. Ela receberá sua concentração e estabilidade, e você receberá o frescor dela e sua inocência. De vez em quando, ela pode querer correr à frente e então esperar você alcançá-la. Uma criança é um sino de plena atenção, nos lembrando como vida é maravilhosa. Em Plum Village, eu ensino para os jovens um verso simples para praticar enquanto caminham:

“Sim, sim, sim” enquanto inspiram, e,

“Obrigado, obrigado, obrigado” enquanto expiram. 

Eu quero que eles respondam para a vida, para a sociedade, e para a Terra de um modo positivo. Eles desfrutam muito isto.

Depois que você tiver praticado durante alguns dias, tente acrescentar mais um passo à sua expiração. Por exemplo, se sua respiração normal é 2 -2, sem caminhar mais rápido, alongue sua expiração e pratique 2-3 durante quatro ou cinco vezes. Então volte para 2-2. Na respiração normal, nós nunca expelimos todo o ar de nossos pulmões. Sempre há algum que fica. Acrescentando outro passo a sua expiração, você empurrará para fora esse ar. Não se exceda. Quatro ou cinco vezes são o bastante. Mais pode deixar você cansado. Depois de respirar quatro ou cinco vezes deste modo, deixe sua respiração voltar a normal. Então, cinco ou dez minutos depois, você pode repetir o processo. Lembre-se de acrescentar um passo à expiração, não à inspiração.

Depois de praticar mais alguns dias, seus pulmões poderiam dizer a você, “Se nós pudéssemos fazer 3-3 em vez de 2-3, isso seria maravilhoso.” Se a mensagem é “querida, tente isto”, mesmo assim, só faça quatro ou cinco vezes. Então volte para 2-2. Em cinco ou dez minutos, comece 2-3, e então faça 3-3 novamente. Depois de vários meses, seus pulmões serão mais saudáveis e seu sangue circulará melhor. Seu modo de respirar terá sido transformado.

Quando praticamos meditação andando, chegamos a cada momento. Quando nós entramos no momento presente profundamente, nossos pesares e tristezas desaparecem, e nós descobrimos a vida com todas as suas maravilhas.

Inspirando, nós dizemos a nós mesmos, “eu cheguei.” Expirando, nós dizemos, “eu estou em casa.” Quando nós fizermos isto, superaremos a dispersão e moraremos pacificamente no momento presente que é o único momento para nós estarmos vivos.

Você também pode praticar meditação andando usando as linhas de um poema. No Budismo Zen, poesia e prática sempre vão juntas.

Eu cheguei.

Eu estou em casa no aqui, no agora. 

Eu sou sólido. Eu sou livre. 

Na dimensão última eu moro. 

Enquanto você caminha, esteja completamente atento ao seu pé, ao chão, e a conexão entre eles, que é sua respiração consciente. As pessoas dizem que caminhar sobre a água é um milagre, mas para mim, caminhar pacificamente na Terra é o milagre real. A Terra é um milagre. Cada passo é um milagre. Dar passos em nosso planeta bonito pode trazer real felicidade.

original de http://www.viverconsciente.com/textos/caminhada_meditativa.htm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s