Ensinamentos sobre o Medo de Thich Nhat Hanh

Ensinamentos sobre o Medo de Thich Nhat Hanh

São 03 links logo após os títulos. Boa leitura

Acalmando a tempestade http://www.viverconsciente.com/textos/acalmando_tempestade.htm

Cada vez que sentimos uma forte onda de medo, raiva ou ciúme, podemos fazer algo para cuidar dessa energia negativa para ela não nos destruir. Não é preciso haver nenhum conflito entre um elemento e outro de nosso ser. Tem que haver apenas um esforço para cuidar e ser capaz de transformar. Precisamos ter uma atitude não violenta para com o nosso sofrimento.

Quando temos uma emoção forte como o medo ou desespero, pode ser esmagador. Mas com a prática, sabemos que podemos aprender a abraçar o nosso medo, porque sabemos que em cada um de nós existe a semente da atenção plena. Se praticarmos tocar essa semente a cada dia ao andar, sentar, respirar, sorrir ou comer, cultivaremos a energia da atenção plena. E então, a qualquer hora que precisarmos dessa energia, será só tocar a semente de atenção plena, que logo a energia de plena consciência virá e poderemos usá-la para abraçar as nossas emoções. Se conseguirmos apenas uma vez fazer desta forma, teremos um pouco mais de paz e menos medo que a emoção forte da próxima vez venha à tona.

Suponha que você tem um monte de dor, tristeza ou medo no fundo de sua consciência. Muitos de nós têm grandes blocos de dor e sofrimento nas profundezas de nossa consciência que não podemos mais olhar. Temos que nos manter muito ocupados para garantir que esses hóspedes indesejáveis ​​não venham e nos façam uma visita. Nós nos ocupamos com outros “convidados” – pegamos uma revista ou um livro para ler, ligamos a televisão, ou tocamos uma música. Nós fazemos tudo o que podemos para preencher a nossa atenção com alguma coisa. Essa é a prática de reprimir.

http://www.viverconsciente.com/textos/acalmando_tempestade.htm

Destemor http://www.viverconsciente.com/textos/destemor.htm

A maioria de nós experimenta uma vida cheia de momentos maravilhosos e momentos difíceis. Mas para muitos de nós, mesmo quando estamos mais alegres, há medo por trás de nossa alegria. Tememos que este momento termine, que não conseguiremos o que precisamos, que perderemos o que amamos, ou que não estaremos seguros. Muitas vezes, nosso maior medo é saber que um dia os nossos corpos pararão de funcionar. Então, mesmo quando estamos rodeados de todas as condições para a felicidade, nossa alegria não está completa.

Pensamos que, para sermos mais felizes, devemos afastar ou ignorar o nosso medo. Não nos sentimos à vontade quando pensamos nas coisas que nos assustam, então negamos nosso medo. “Oh, não, não quero pensar nisso.” Tentamos ignorar o nosso medo, mas ele ainda está presente.

http://www.viverconsciente.com/textos/destemor.htm

O Medo Original http://www.viverconsciente.com/textos/medo_original.htm

Muitos de nós encontramo-nos frequentemente pensando em coisas que atiçam sentimentos de medo e tristeza. Todos nós experimentamos algum sofrimento no nosso passado, e muitas vezes nos lembramos dele. Nós revisitamos o passado, revendo-o e assistindo os filmes do passado. Mas se nós revisitarmos estas memórias sem atenção plena consciência, cada vez que virmos essas imagens sofreremos novamente.

Suponha que você foi abusado quando criança. Você sofreu muito. Você era frágil e vulnerável. Provavelmente tinha medo o tempo todo. Você não sabia como se proteger. Talvez na sua mente você continue a ser abusado de novo e de novo, mesmo se você for um adulto agora. Você já não é aquela criança que era frágil e vulnerável, sem meios de defesa. Mesmo assim continua a experimentar o sofrimento da criança, porque você sempre revisita essas memórias, mesmo que sejam dolorosas. Há um filme, uma imagem armazenada em sua consciência. Toda vez que sua mente se volta para o passado e olha para aquela imagem ou assiste a esse filme, vai sofrer novamente. Plena atenção lembra-nos que é possível estar no aqui e agora. Lembra-nos que o momento presente está sempre disponível para nós. Não precisamos viver eventos que aconteceram há muito tempo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s