A doutrina da inação – Lao Tsé

O Sábio se ocupa com a inação e transmite instruções sem palavras. Não é negligenciando o interesse próprio que se poderá alcançá-lo?

Purifique-se de sua inteligência profunda, e você ainda pode estar livre de manchas. Valorize as pessoas e ordene o reino, e você ainda pode passar sem ação intrusiva.

Quem pode tornar clara a água barrenta? Mas se for permitido permanecer imóvel, gradualmente se tornará limpa por si mesma. Quem pode assegurar um estado de repouso absoluto? Mas deixe o tempo passar e o estado de repouso surgirá gradualmente.

Poupem o discurso e as coisas se resolverão por si mesmas.

Um vento violento não dura mais que uma manhã; uma rajada de chuva não dura mais que um dia. Tal é o curso da Natureza. E se a própria natureza não pode sustentar seus esforços por muito tempo, quanto menos o homem pode!

Alcance a vacuidade completa e preserve diligentemente um estado de repouso.

O Tao é eternamente inativo e, no entanto, não deixa nada por fazer. Se reis e príncipes pudessem se apegar a esse princípio, todas as coisas fariam a sua própria reforma. Se, depois de reformados, eles ainda desejassem agir, eu os restringiria pela simplicidade do Tao Sem Nome. A simplicidade do Tao Sem Nome traz uma ausência de desejo. A ausência de desejo dá tranquilidade. E assim o Império se corrigirá.

As coisas mais suaves do mundo anulam as mais duras. Aquilo que não tem substância entra onde não há fenda. Por isso eu conheço a vantagem da inação.

Transmitir lições sem palavras, colher lucro sem ação – há poucos no mundo que podem alcançar isso!

A atividade vence o frio, mas a quietude vence o calor. Pureza e quietude são os princípios corretos para a humanidade.

Sem sair de casa, pode-se conhecer o mundo inteiro; sem olhar pela janela, pode-se ver o Caminho do Céu. Quanto mais se viaja, menos se pode saber. Assim é que, sem se mover, você saberá; sem olhar você verá; sem fazer você deve alcançar.

A busca do aprendizado livresco traz crescimento diário. A prática do Tao traz perda diária. Repita essa perda repetidas vezes e você chegará à inação. Pratique a inação e não haverá nada que não possa ser feito.

O Império já foi conquistado deixando as coisas seguirem seu curso. Aquele que deve estar sempre fazendo é incapaz de obter o Império.

Mantenha a boca fechada, feche os portais dos sentidos e, enquanto você viver, não terá problemas. Abra seus lábios e insista em seus assuntos, e você não estará seguro até o fim de seus dias.

Pratique a inação, ocupe-se em não fazer nada.

Deseje não desejar, e você não valorizará as coisas difíceis de obter. Aprenda a não aprender, e você voltará a uma condição que a humanidade em geral perdeu.

Deixe todas as coisas seguirem seu curso natural e não interfira.

Do livro The Sayings of Lao-Tzu, Lionel Giles translation [1905]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s