O pensamento proporciona segurança? – Krishnamurti

O pensamento proporciona segurança?

Será que o pensamento, fundamentalmente, basicamente, proporciona segurança psicológica? O pensamento tem o seu lugar, mas, quando o pensamento acha que pode dar segurança psicológica, então ele está vivendo na ilusão. Em seu desejo de obter completa segurança, o pensamento criou uma coisa chamada deus, e a humanidade agarra-se a essa ideia. O pensamento é capaz de criar todo tipo de ilusão romântica. E quando a mente, psicologicamente, busca segurança em um dogma da Igreja, em alguma outra alegação dogmática, ou outra coisa qualquer, ela está buscando segurança na estrutura do pensamento. O pensamento é a resposta da experiência e do conhecimento, armazenados no cérebro como memória; tal resposta, portanto, sempre se move a partir do passado. E há, porventura, segurança no passado?

– Krishnamurti, The Wholeness of Life, p 160

Segurança e dependência

O desejo de estar em segurança é uma das coisas mais curiosas. Tal segurança precisa ser reconhecida pelo mundo; não sei se você percebe isso. Escrevo um livro e nele encontro minha segurança. Entretanto, o livro precisa ser reconhecido pelo mundo, caso contrário, não haverá segurança. Então veja o que eu tenho feito – a minha segurança reside na opinião do mundo! “Meu livro está vendendo milhares de exemplares”, e terei criado assim o valor do mundo. Ao buscar segurança mediante um livro – ou no que quer que seja – estou na dependência do mundo que criei. Isso significa que estou enganando a mim mesmo constantemente. Se você percebesse isso! Portanto, o desejo do pensamento de ficar em segurança é o caminho da incerteza, é o caminho da insegurança.

– Krishnamurti, The Impossible Question, p 182