Aquele que sabe não fala. Aquele que fala não sabe

Há uma história de um discípulo que contou a seu guru que estava indo para um lugar distante para meditar, na esperança de se iluminar. Então passou a mandar um bilhete ao guru a cada seis meses para relatar seus progressos.

O primeiro bilhete dizia: “Agora compreendo o que significa perder o self ”. O guru rasgou o bilhete e jogou no cesto de lixo.

Seis meses depois recebeu outro dizendo: “Agora consigo ser sensível a todos os seres”. O guru também rasgou.

Um terceiro bilhete dizia: “Agora compreendo o segredo do um e dos muitos”. Também foi rasgado e jogado no lixo. E assim continuou durante anos, até que por fim os bilhetes cessaram.

Passou um tempo, o guru estava curioso e um dia apareceu um viajante que iria até aquele lugar onde estava o discípulo. O guru disse: “Por favor, descubra o que aconteceu com aquele rapaz”.

Pouco depois, o guru recebeu um bilhete do discípulo. Dizia: “Afinal, o que importa?”. E quando o guru leu isso, disse: “Ele conseguiu! Ele conseguiu, ele finalmente conseguiu! Ele conseguiu!”.

Guia para águias que acreditam ser frangos (Portuguese Edition)
Anthony de Mello

Aquele que sabe não fala.
Aquele que fala não sabe. (Lao Tsé )