MEDITAÇÃO: UM MEIO DE DESCOBRIR A NOSSA VERDADEIRA NATUREZA – Pierre Weil

MEDITAÇÃO: UM MEIO DE DESCOBRIR A NOSSA VERDADEIRA NATUREZA

O nosso mundo está evoluindo muito rapidamente. Enquanto de um lado, está desmoronando toda a nossa civilização por ela ter perdido a sua razão de ser e ter se afastado dos grandes valores da humanidade, uma parte cada vez mais numerosa está procurando uma solução para crise social, pois a humanidade está a beira de um suicídio planetário. Podemos, aliás, afirmar que a catástrofe já chegou, de modo lento e invisível.

Um dos meios preconizados num recente relatório encomendado pela UNESCO, sobre a educação para o futuro, conhecido como relatório Delors, há quatro aspectos da educação, sendo recomendados: Aprender a reconhecer, aprender a agir, aprender a conviver e aprender a ser.

Para aprender a ser, precisamos descobrir quem somos realmente. Em outro trabalho também patrocinado pela UNESCO, sobre uma nova visão da universidade, para a educação do ser, se recomenda o uso da meditação.

O QUE É REALMENTE A MEDITAÇÃO?

Meditar consiste em voltar para a nossa casa, este corpo em que moramos provisoriamente, e ao nos interiorizarmos, observar tudo que se passa no campo interior da mente ou no mundo exterior, sem nada rejeitar, nem se apegar a nada. Deixar tudo passar: idéias, pensamentos, emoções, sentimentos, percepções e sensações tais como ruídos, formas, cores e assim por diante.

PARA QUE MEDITAR?

Estamos, nesta agitação da vida moderna, constantemente vivendo fora, insatisfeitos, infelizes, procurando fora de nós, num trabalho, numa relação amorosa, num casamento, num partido político ou numa ideologia, a paz e a felicidade.

As pessoas meditam para encontrar esta paz dentro delas, onde ela se encontra verdadeiramente, através da plena consciência da nossa verdadeira natureza, ou melhor ainda da verdadeira natureza do espírito.

A finalidade da meditação por conseguinte é a descoberta de quem somos realmente.

COMO MEDITAR?

Esta descoberta só pode ser feita por cada um de nós, pessoalmente. Ninguém pode fazê-la por nós.

Se tivermos a felicidade de encontrar um mestre realizado, isto é que já fez esta descoberta e vive plenamente desperto, este poderá nos fazer sentir de que se trata, mas nunca poderá fazer o caminho no nosso lugar.

Para meditar convêm sentar numa cadeira, e relaxar profundamente todos os músculos do corpo. Para isto, inspire fundo, procure contrair todos os músculos inclusive da face e dos pés, e expirar.

Então concentre sua atenção na respiração, observando o ar que entra e sai naturalmente do seu nariz.

Aceite tudo que vier, como já falei mais acima, seja de dentro ou de fora. Evite julgar, rejeitar ou se apegar. Simplesmente observe e deixa passar. É uma boa aprendizagem para aceitar a verdade da impermanência de tudo que existe; deixando passar, a gente aprende a não se apegar a nada, nem coisa, nem pessoa, nem mesmo idéia. Pois quem se apega, acaba sofrendo.

Importante é introduzir alegria na meditação. Um leve sorriso nos lábios ajuda muito, assim como uma música suave e repousante. O sentimento do valor sagrado e belo da existência também ajuda criar o ambiente interior. Coloque na sua frente uma imagem do sue mestre ou personagem que você reverencia; Cristo, Budha, Mahomet ou outra. Coloque flores, incenso; uma vela acesa pode lhe evocar o calor do amor e a luz da sabedoria.

Conserve esta postura relaxada até o fim da meditação.

Mantenha os olhos entreabertos, fixando um ponto no próprio espaço na sua frente, na direção do seu nariz. Isto ajuda a dissolver a separação artificialmente criada pela nossa mente entre o dentro e o fora.

Há dois extremos a evitar: o torpor e a agitação mental. No primeiro caso em que vem uma vontade de dormir, convém levantar o olhar para cima, por alguns instantes. No segundo caso, volte a fixar a atenção sobre a sua respiração. Evite lutar contra os pensamentos. Eles passam sozinhos.

Na realidade você não tem que fazer nada. Nós, os ocidentais, trabalhamos a vida com a esperança de aposentar um dia e não fazer nada. Porque não realizar este ideal todos os dias? Aposente todos os dias. Reserve um tempinho do seu cotidiano, para não fazer nada!

Existem muitas formas e técnicas de meditação. Elas existem para provocar certos resultados específicos. Outras são feitas para se adaptar a certos temperamentos ou condições energéticas que você irá descobrir.

Se for muito cedo para você, o melhor horário será depois de tomar banho e antes do desjejum. O banho é energizante e contribui para tirar energias de tensão eventual provocada por pesadelos. Antes do desjejum, pois qualquer refeição mobiliza energias no nível do estômago e impede a energia vital de subir e se transformar e transcender nos níveis superiores do ser.

Outra hora oportuna é na hora do pôr do sol, ou antes de dormir.

Inexiste um tempo certo. O tempo ideal é o que convém para as suas condições atuais. Uns cinco minutos no início; depois você vai aumentando.

Certos mestres recomendam fazer meditações curtas interrompendo a meditação de vez em quando voltando para o cotidiano. Isto impede de separar a meditação do cotidiano. Você aprende com isto, fazer do cotidiano uma meditação, e da meditação um ato corriqueiro!

ONDE MEDITAR?

Escolha uma lugar tranquilo, um cômodo sossegado; se possível sempre o mesmo. Se for na natureza, o lugar ideal será debaixo de uma árvore.

QUAIS OS EFEITOS POSTERIORES À MEDITAÇÃO?

Os benefícios da meditação diária são imensos e incontáveis. Vamos enumerar a seguir os principais:
Você vai sentir uma paz profunda
Esta vai se estender progressivamente a sua vida cotidiana.
Você ficará naturalmente protegido contra dezenas de doenças. Estudos estatísticos mostraram que as pessoas que meditam diariamente, tem melhor saúde do que os que não tem este hábito.
Do mesmo modo, se você estiver doente, meditar é um excelente coadjuvante do tratamento médico.
Você vai aumentar sua memória, sua capacidade criativa, e sua lucidez.
Você vai assistir o despertar da sua sensibilidade psíquica.
Enfim, você irá descobrir como funciona o espírito e qual a sua verdadeira natureza.
O seu relacionamento com os outros vai mudar de qualidade. Você vai se tornar um polo magnético de irradiação paz, serenidade e verdadeiro amor sem para todo mundo.

MEDITAÇÃO

Qual a diferença entre meditação e prece? O que se pode dizer é que a oração pode ser um excelente meio de induzir a meditação, desde que ela termina em silêncio e que seja uma reza partindo do fundo do coração.

Existem muitas formas de meditação que começam por uma oração.

Pierre Weil
fonte: http://pierreweil.pro.br/1/Novas/Novas-38.htm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s