Estar interessados e observar as ondas da vida

O que precisamos é estar interessados e observar, mas não interferir ou ser apanhados no que estamos pensando. Não pense no passado, não antecipe o futuro, não fique fascinado pelo presente. Veja como é. Apenas esteja lá com isso. Um pensamento é apenas um pensamento. Uma emoção é apenas uma emoção. É como uma bolha. Ele vai estourar e outro vai aparecer.

Quando começamos a colocar isso em prática, a mente começa a se dividir. Desenvolvemos o que chamamos de observador, testemunha, conhecedor. Este é um aspecto da mente. Ainda é apenas mente, mente conceitual, mas é uma mente que está para trás e olhando para o que está acontecendo, como se estivesse à distância. Em si, isso não é a realidade última, porque ainda é uma mente dualista. Mas é uma grande melhoria na maneira como normalmente pensamos, porque nos dá espaço para ver um pensamento como um pensamento e uma emoção como uma emoção. Então podemos decidir se este é um pensamento ou emoção útil ou não. Nós a conhecemos pelo que é, em vez de sermos absorvidos por ela. Não nos identificamos mais com isso.

Se desenvolvermos essa consciência interior, que é como um espaço interior, podemos surfar nas ondas da vida. As pessoas imaginam que, para ser um meditador, você precisa sempre viver em situações muito tranquilas e que provavelmente será inundado se surgir uma situação turbulenta. Isso vale para iniciantes, assim como para quem está aprendendo a surfar. No início, eles têm que se ater às ondas pequenas, caso contrário serão derrubados. Mas um surfista experiente procura as ondas grandes. Quanto maiores as ondas, mais divertido, uma vez que você tenha seu equilíbrio. O segredo é ser balanceado, ser equilibrado. Para ser um bom surfista você precisa estar nem muito tenso nem muito relaxado, apenas equilibrado. Isso é o que precisamos em nossa prática também.

Quando desenvolvemos esse espaço interior, tudo assume uma qualidade de sonho. Não como um sonho no sentido de estar com sono, mas no sentido de que não é mais tão sólido, tão real, tão urgente. Tem uma qualidade quase como uma ilusão. Você não leva isso tão a sério, porque você não está totalmente envolvido nisso. Agora, quando temos aquela sensação de dar um passo atrás e ver a vida com um grau de clareza, somos capazes de responder a situações que surgem com frescor e espontaneidade, em vez de nossa resposta automática usual, que é como apertar um botão em uma máquina. Começamos a responder naturalmente e de maneira apropriada.

Tenzin Palmo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s